Livro 3: Fim (Fernanda Torres)

Sim, eu consegui, finalmente, acabar de ler Fim, da Fernanda Torres! “Como assim ‘conseguiu’, Livia?” Simples, é o que livro é chaaaaaaaaaato toda vida!

Acho que nunca me decepcionei tanto com um livro. Sendo um livro da Fernanda Torres, atriz que adoro faz tempo (quem não, né?), eu esperava um livro a sua altura. Sabia que não seria de comédia, porque assisti um debate com ela na FLIP (Festa Literária Internacional de Parati) no ano passado e ela deixou bem claro que seu livro não era do estilo que as pessoas estavam acostumadas a vê-la, ou seja, não era um livro de comédia. E realmente não é. Mas ela podia ter dito que era chato, né?

Explico, porque “chato” é uma característica muito abrangente. E, pra isso, contarei a minha história com esse livro desde o começo (juro que não é longa, podem ler sem medo de ficar por aqui até amanhã!).

Um dia, estava eu na Livraria Saraiva e queria tomar um café no Café Baroni, cafeteria (ótima) dentro da livraria. Mas não tinha levado nenhum livro e não sabia se ia conseguir escrever algo, então fui catar um livro de lá pra ler. Dei de cara com Fim, que já estava há muito tempo querendo ler (por ser fã da Fernanda, como disse anteriormente), e levei comigo pra mesa. Comecei a ler. Li todo o primeiro capítulo, ou seja, toda a história de Álvaro (o livro é dividido por seus personagens principais). Nunca odiei tanto um personagem quanto aquele. Rabugento, chato, sem nenhuma qualidade positiva. Nenhuma! Não tinha uma característica sequer que me levasse a um pingo de identificação ou empatia. “Mas vou continuar.”, pensei, “Vai que os outros personagens são melhores!” Ah! Como eu estava enganada!

DSC_0277

O livro fala da vida (e morte) de 5 personagens: Álvaro, Ciro, Neto, Ribeiro e Sílvio. Cinco amigos que se conhecem quando jovens, moradores da zona sul do Rio de Janeiro e frequentadores das praias. Cada um totalmente diferente do outro, mas iguais em um aspecto: os cinco não prestam nem um pouquinho! Mas nem um pouco mesmo! Quando parece que um vai ser legal, fala uma coisa que dá vontade de colocar um alfinete na sua cadeira pra ele sentar em cima (isso, no mínimo). Outros personagens retratados são as mulheres desses cinco amigos e outros dois personagens secundários que aparecem pouco, mas que já conseguimos entender suas vidas. Tirando o padre, não há nenhum outro que passe empatia. Não para mim, pelo menos!

Fernanda deve ter tentado retratar que ninguém é normal de perto, que vivemos de aparências e que todos temos uma ponta de ruim dentro de nós. Isso ela realmente fez com maestria. Mas acho que até se superou, porque, pra mim, pareceu que eles só tem maldade! Eu gosto de ler um livro que eu consiga me identificar com algum personagem. Mesmo se o personagem não seja como eu, não aja como eu, não pense como eu, que eu consiga entender suas ações e motivações, sejam elas positivas ou negativas. Nesse livro, é impossível. Todos os personagens são extremamente egoístas, narcisistas, egocêntricos. Vaidosos e muitos são preconceituosos. Como gostar de um personagem assim? Foi muito difícil pra mim. Por isso, foi difícil chegar ao final do livro. Por isso, demorei tanto. Adiava sua leitura pois sabia que seria desgastante. No final, acabei conseguindo ter força de vontade maior e li metade do livro em três dias, tudo porque queria acabá-lo. Ajudou o fato de Fernanda deixar os personagens menos insuportáveis pro final, talvez até intencionalmente, não sei. Ajudou mais ainda eu pensar nesse projeto e pensar que, se não acabasse logo o livro, não conseguiria ler meus 30 livros em 2015. Então consegui. Com a certeza de que esse será um dos piores livros que li esse ano.

Outras opiniões pra vocês não ficarem só com a minha negativa.

Outras opiniões pra vocês não ficarem só com a minha negativa.

Sei que muitos gostarão dele. Alguns, somente por ser da Fernanda Torres. Outros, dirão que gostaram por estar super em alta (e por ser da Fernanda), mas na verdade, não terão gostado. Outros vão gostar e pronto. Vai do gosto de cada um, é claro. Mas eu não consigo entender como alguém pode admirar um livro com tantos personagens insuportáveis e que não acrescenta nada. Dou graças a Deus que terminou. Deus esse que a maioria dos personagens não acredita (não que esse seja um defeito deles, pelo amor!).

Se você já leu e gostou, me explico o motivo porque preciso entender! E se você ainda for ler, boa sorte!

E agora, rumo ao terceiro livro!

Anúncios